São Pedro - O primeiro Papa - Tu és pedra e sobre ti edificarei a Minha Igreja


"Não tinha como negar, a Comissão Pontifícia Arqueológica pronunciou, com base científica: são de fato os ossos de São Pedro - é mesmo o túmulo do primeiro Papa da Igreja"

Texto - Roberto A. Tannus - Email > [email protected] 

Conforme a comprovação científica promovida pelo arqueólogo, o jesuíta Antônio Ferrua (1901-2003), que dirigiu a Comissão Pontifícia Arqueológica entre os anos de 1947 até 1968, ficou comprovado que o túmulo de São Pedro é legítimo e que a ossada que lá está depositada é - conforme todas as evidências indicam - de São Pedro (conforme Jornal L’Oservatore Romano 29/05/2006).

A Basílica de São Pedro é um templo que recebeu sucessivas construções. A primeira delas começou com o Papa Constantino, em 315 e só terminou sob o Pontificado de Urbano VII, 120 anos depois. Em 1506 ergueu-se atual Basílica sobre a antiga, conservando-se a construção primitiva intacta no subsolo do último templo. Quando as construções foram iniciadas e concluídas, não se sabia da existência do túmulo do Príncipe dos Apóstolos. Esse túmulo só foi descoberto porque o altar da primeira basílica cedeu, afundando perigosamente no solo. Isso se deu durante o ano de 1961, quando era Papa, o Santo Padre Pio XII. O Sumo Pontífice solicitou que a referida Comissão Arqueológica fosse acionada para realizar uma construção que corrigisse o problema e, assim, pudesse dar sustentação ao altar principal da Basílica que estava abatendo. Como construção pertencia Patrimõnio Histórico da Humanidade, nenhuma pedra poderia sair do lugar sem a fiscalização constante dos arqueólogos da referida Comissão.

A solução, para não violar a construção original, foi a de cavar um túnel a quatro metros de profundidade embaixo do altar A descoberta assustou a todos os arqueólogos.

Descobriu-se que a Basílica de São Pedro tinha sido construída sobre um cemitério que datava da época dos primeiros cristãos. Em muitos desses túmulos de que morreram sob a fúria de Nero, nos circos que se montavam para martirizar os cristãos. Porém, que mais surpreendeu foi um túmulo maior que os outros, cuja inscrição em Latim era: “Pedro está aqui”.

A ossada foi examinada exaustivamente entre 1962 a 1968. Todas as inscrições foram examinadas pela criptográfica Marguerida Guardeu, da mesma Comissão, e consideradas legítimas. Não eram adições feitas posteriormente, mas tinham sido gravadas na época do sepultamento. As conclusões que o Arqueólogo António Ferrua chegou são impressionantes. Pelas características das substâncias químicas contidas na ossada, pertence seguramente um homem que viveu a maior parte de sua vida próximo do Lago de Tiberíades, na Galiléia. Não tinha como negar, como negar a Comissão Pontifícia Arqueológica pronunciou, com base científica: são de fato os ossos de São Pedro - é mesmo o túmulo do primeiro Papa da Igreja  Os cientistas ficaram intrigados pela posição do túmulo. Ele fica exatamente embaixo do altar principal da Basílica, que é todo de pedra. Sobre o altar está a imponente abóbada da Igreja, com 135,5 metros de altura, cujo centro é o próprio altar, contendo a seguinte inscrição à sua volta: “Pedro, Tu és pedra e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja”.

A descoberta do túmulo de São Pedro é um doce alento para nós, é uma árvore de dois mil anos que tem dado o testemunho de que a Igreja Católica continua fiel ao vínculo dos Apóstolos.

Nos meus tempos de meninice, lembro-me muito bem da fazenda de um tio que tinha um laranjal muito grande. Ele vivia reclamando que quebrávamos os galhos e atirávamos pedras só em duas das diversas laranjeiras do pomar. Mesmo nos censurando, não deixávamos de “atacar” as benditas árvores, pois aquelas duas eram mais doces. Os outros pés de laranja não eram incomodados por nós em nossas peraltices.

Nestes tempos em que a Igreja tem sido duramente atacada, criticada por não mudar suas posições a respeito do testemunho de que Jesus Cristo é o Filho de Deus, afirmando contra todas as heresias ao longo da história a Sua Divindade, que o Filho de Deus veio ao mundo para nos salvar; em que a Mãe- Igreja é bombardeada por todos os lados por defender a vida (sendo contra o aborto e a eutanásia — Catecismo no 2270ss); ela, que é tida como anti-modernista, por não concordar com o homossexualismo (Catecismo no 2357-2359) e contra todo o tipo de injustiça e violência que agride a vida humana - não fico preocupado, pois a Igreja Católica Apostólica Romana, que tem em Pedro o 1° Papa e, em Bento XVI , o 265° Papa, não foi fundada por homens, nem sua constituição espiritual é frágil: “Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; porém ela não caiu, porque estava edificada sobre a rocha” (Mt 7, 25). E sobre uma rocha que desfila o mel da salvação.

 

Fonte: Revista Brasil Cristão - Nº 108 - Julho 2006 - www.asj.org.br